Vistoria do imóvel: 5 dicas para você não perder nada

vistoria do imóvel
5 minutos para ler

A vistoria é um dos passos mais importantes antes da locação ou venda de um imóvel. Esta inspeção é fundamental, pois atesta o estado de conservação da casa ou apê. Então, antes de receber as chaves do seu novo cantinho, informe-se bastante. Dessa maneira, você evitará possíveis problemas no futuro.

Pensando nisso, separamos cinco dicas para você não deixar passar nada de importante. Assim, você será capaz de saber se todos os itens estão na ordem. Confira:

O que é a vistoria do imóvel?

O laudo de vistoria é um guia que conta com imagens e considerações sobre o estado imóvel antes da entrega das chaves. A inspeção é um ponto importante para salvaguardar o local de possíveis danos. Além disso, previne de custos extras no futuro.

A vistoria é feita antes da entrada no imóvel e, também, antes da saída do imóvel. O laudo deve discriminar todos os mínimos detalhes da propriedade, dessa forma, garantindo as condições reais da infraestrutura.

Assim que a mudança for realizada, o ideal é revisá-lo e compará-lo com o documento para garantir que tudo esteja certo no seu cantinho.

Como fazer a vistoria de entrada?

A vistoria é um processo que deve ser feito com bastante calma. Então, marque a visita para um calmo, onde não precisará ver o imóvel com pressa. Olhe tudo atentamente e faça perguntas. É importante não deixar passar nada.

O laudo é um documento escrito e com fotos que comprovam o estado do imóvel antes da entrada do inquilino. Caso seja necessários fazer ajustes ou reparos, o inquilino deve apontar as inconsistências.

A dica é fazer um checklist. Por exemplo: pinturas, rachaduras, portas e fechaduras, janelas, pisos, azulejos, instalações elétricas e hidráulicas etc.

O que é importante checar na vistoria?

Como citado acima, é importante olhar todos os detalhes do imóvel. Então, observe como está a pintura das paredes e se há rachaduras. Manchas, marcas e papéis de parede requerem atenção.

No teto, a dica é a mesma: manchas, rachaduras, marcas, bolhas ou descascamentos podem ser sinais de alerta.

Em pisos, azulejos e revestimentos observe se há alterações, partes quebradas, soltas ou com defeitos. Veja se existe algum buraco ou rachaduras.

Verifique as portas, janelas, esquadrias e fechaduras. Elas devem abrir e fechar sem você precisar fazer esforço ou algum tipo de macete. Em caso de vidros, cheque se estão arranhados, manchados, soltos ou com respingos de tinta.

Já nas esquadrias, não deve haver nenhuma ferrugem ou pintura descascada. Verifique se não há nenhum tipo de vazamento.

Durante a vistoria, é importante analisar as instalações elétricas e hidráulicas, pois elas garantem parte da segurança do imóvel. Teste os registros, torneiras, descargas e a qualidade da água. Ralos e canos não podem passar despercebidos. Nada pode estar pingando, vazando ou entupido. A caixa d’água merece atenção à parte. Não deixe de verificá-la.

Na parte elétrica, verifique se o quadro de luz está em boas condições. Veja se há fios descascados ou expostos.  Além disso, observe e teste as tomadas e o chuveiro – este deve estar com os fios dentro de uma proteção ou escotilha.

Pergunte se reformas ou troca de fiação foram feitas recentemente. Avalie como está o estado da caixa de força.

Manutenção: quem é o responsável, inquilino, proprietário ou imobiliária?

A manutenção, assim como outras regras, é regulamentada pela Lei do Inquilinato. Ao alugar um imóvel, cabe ao inquilino zelar pelo imóvel. A lei prevê que cabe ao locatário, “restituir o imóvel, finda a locação, no estado em que o recebeu, salvo as deteriorações decorrentes do seu uso normal”

Por outro lado, o proprietário deve fazer os reparos fundamentais para manter o imóvel em condições de uso. De acordo com a lei, ao locador fica a responsabilidade de “responder pelos vícios ou defeitos anteriores à locação”.

Portanto, cabe a imobiliária fazer a intermediação entre inquilino e proprietário. Ou seja, ser a central de ajuda para solucionar dúvidas e possíveis problemas.

E a vistoria de saída?

Se a vistoria de entrada é feita pelo inquilino, a de saída é pelo proprietário. Vale a pena lembrar que, em ambos os casos, a lei permite apenas arquitetos ou engenheiros civis como vistoriadores.

Após a vistoria ser realizada, o proprietário irá receber o laudo e verificar se tudo está certinho e de acordo com o combinado em contrato.

Pronto, agora é partir para realizar a vistoria do seu novo cantinho.

Gostou do conteúdo? Para saber mais, siga a Desenrola no Instagram e Facebook.

Você também pode gostar

Deixe um comentário