Como funciona a vistoria de imóvel e o que deve ser observado?

vistoria de imóvel
4 minutos para ler

Ao alugar um imóvel para morar, é preciso lidar com diversos documentos para avaliação e aprovação do contrato. Porém, existe um item fundamental para dar segurança a todas as partes: o laudo de vistoria de imóvel.

Você conhece esse documento? É bastante comum que as pessoas fiquem com dúvidas sobre seu objetivo e, até mesmo, por que ele é tão importante para a locação.

Exatamente por isso, neste conteúdo eu vou esclarecer o que é a vistoria e como ela funciona. Continue a leitura e aprenda!

O que é a vistoria de imóvel e qual a sua importância?

A vistoria é um procedimento que tem como objetivo verificar os detalhes sobre o estado de conservação e características do imóvel. Como a lei do inquilinato prevê que ele deve ser entregue em plenas condições de uso ao inquilino, o laudo comprovará o cumprimento dessa obrigação pelo proprietário.

Por outro lado, como o imóvel deve ser devolvido nas mesmas condições ao término do contrato, a vistoria servirá como base para verificar se o inquilino observou esse dever. Além disso, caso surjam dúvidas ou discordâncias entre as partes, o laudo esclarecerá todos os pontos.

Desse modo, ele se torna um documento essencial para trazer mais segurança à locação. Por isso mesmo, é preciso fazer o procedimento em duas oportunidades, a fim de verificar o cumprimento das obrigações pelas partes: antes da entrega das chaves e ao término do contrato.

Quais pontos devem ser observados na vistoria?

A vistoria do imóvel deve ser feita com atenção para observar todas as características do local. Para isso, além de descrever os itens, é comum que os ambientes sejam fotografados. Confira os principais detalhes que devem ser incluídos no laudo!

Condições gerais do imóvel

As condições gerais determinam como estão a estrutura e as características externas da propriedade, que também são importantes para garantir a segurança do local. Aqui é preciso avaliar itens como:

  • conservação e pintura da fachada;
  • presença de infiltrações ou rachaduras;
  • condições do forro e do telhado.

Caso o imóvel seja mobiliado, os móveis e eletrodomésticos inclusos na locação devem ser descritos, abordando características, estado de conservação e funcionamento.

Detalhes dos acabamentos

Todos os acabamentos do imóvel devem ser descritos para que o laudo fique completo. Nesse momento, os principais itens avaliados são:

  • revestimento de paredes e pisos;
  • condições dos rejuntes;
  • estado da pintura interna;
  • esquadrias e vidros;
  • rebaixamento no teto;
  • lustres, espelhos de tomadas etc.

Sistema elétrico e hidráulico

Finalmente, as partes elétrica e hidráulica devem ser avaliadas para evitar surpresas logo após a mudança. Aqui, é preciso verificar o funcionamento da caixa de luz e as condições das tomadas e interruptores do imóvel, além observar a qualidade da fiação instalada.

Também é necessário checar se existem pontos de umidade ou vazamentos e testar o funcionamento das válvulas de vasos sanitários, descargas e torneiras. Outro ponto importante é analisar o escoamento da água para os ralos, que pode indicar a presença de problemas nos encanamentos.

Todos os itens são avaliados por cômodo e o laudo deve trazer a descrição detalhada de tudo, para não deixar dúvidas sobre as condições em que o imóvel foi entregue ou como ele está no momento da devolução das chaves pelo inquilino. Por exigir diversos requisitos, é fundamental contar sempre com uma imobiliária de confiança para a elaboração dos termos de vistoria inicial e final.

Viu só? Depois de entender como funciona a vistoria de imóvel e o objetivo desse procedimento, deu para notar que ele é essencial para o contrato de locação, trazendo mais segurança em relação às obrigações das partes.

Gostou do conteúdo? Se você tem outras dúvidas sobre a vistoria, compartilhe com a gente nos comentários!

Você também pode gostar

Deixe um comentário