Financiamento de imóvel: como funciona e como conseguir?

financiamento de imóvel
6 minutos para ler

Quem nunca sonhou em ter a casa própria? O poder do financiamento de imóvel é uma ótima alternativa para os brasileiros que não têm o capital necessário para realizar uma compra à vista. Desse modo, por meio de parcelas que podem ser pagas em anos, a realização de ter o próprio “lar doce lar” está cada vez mais próximo.

No entanto, aqueles que desejam comprar um imóvel com financiamento devem saber das diferenças entre os tipos existentes e quais condições são exigidas para cada perfil. Portanto, tomar nota sobre o assunto é essencial para começar o processo da forma correta.

Por isso, separamos neste artigo tudo o que você precisa saber a respeito dos diferentes tipos de financiamento de imóvel, como funcionam, os passos necessários para consegui-los e quais cuidados são essenciais. Continue conosco e não perca nenhum detalhe!

Entenda o que é financiamento de imóvel

Financiar um imóvel nada mais significa que realizar uma compra por meio de um empréstimo que será pago com juros em parcelas. De forma geral, o comprador dá um valor de entrada no ato da compra e financia o restante em até 35 anos.

Isso significa que, até que haja a total quitação do valor financiado, o apartamento será de direito do banco que financiou e alienado a quem comprou. Ou seja, caso o responsável pela compra não termine de pagar as parcelas, o imóvel ficará para o banco e o indivíduo perderá todo o dinheiro anteriormente pago.

Veja quando é benéfico financiar um imóvel

Financiar um imóvel tem seus pontos positivos, principalmente pelo comprador ter mais tempo para pagar pela propriedade. Além disso, se houver a possibilidade de dar uma entrada com boas condições de financiamento e com juros acessíveis, a compra do imóvel é uma ótima ideia.

Caso você tenha capital disponível para comprar uma casa ou apartamento à vista, talvez o financiamento não seja a melhor ideia já que pagará juros. No entanto, se eles forem baixos, o custo de oportunidade é compensado.

Descubra como financiar um imóvel

O financiamento pode ser feito em bancos ou direto com a construtora e, para saber exatamente o valor que pode ser financiado, é necessário fazer uma simulação e pré-aprovação de crédito. É interessante também que essa pesquisa seja feita em diferentes estabelecimentos, pois a taxa de juros é bastante diferente entre um e outro, o que pode mudar bastante o valor final do imóvel.

Além do mais, é importante salientar que o valor do financiamento só pode comprometer 30% do total do rendimento líquido de quem fará a compra, por isso, quanto maior a sua renda, melhores serão suas condições.

Outro ponto a ser levantado é que existe cobrança também pela documentação e outros tipos de encargos. Por isso, quanto mais você puder economizar nas parcelas com juros menores, melhor. Aqui você pode conferir as principais comparações de juros entre seis bancos diferentes:

  • Santander — juros SFH ao mês de 0,67% + TR;
  • Itaú — juros SFH ao mês de 0,67% + TR;
  • Caixa — juros SFH ao mês de 0,69% + TR;
  • Bradesco — juros SFH ao mês de 0,69% + TR;
  • Banco do Brasil — juros SFH ao mês de 0,79% + TR.

A sigla SFH representa Sistema de Financeiro de Habitação (12% de juros ao ano). Além disso, o limite desse financiamento pode ser de 90% do valor total na tabela SAC (no qual o valor das parcelas reduz com o passar do tempo) ou 80% na tabela Price (o valor das parcelas se mantém o mesmo).

Saiba os principais tipos de financiamento de imóvel

Existem alguns tipos de financiamento de imóvel disponíveis. A seguir, conheça mais sobre cada um deles!

Financiamento com banco

Como mostrado anteriormente, você pode fazer financiamento com o banco. O mais procurado pelos compradores é a Caixa Econômica Federal, mas é importante que você sempre realize uma pesquisa para entender onde terá as melhores condições para seu caso.

Os bancos geralmente trabalham com o SFH (já mencionado acima) ou o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário). Geralmente, é utilizado pela grande maioria o primeiro pois, de acordo com as leis, os bancos não podem cobrar mais do que 12% de juros ao ano. Portanto, esteja atento ao tipo de financiamento que pretende adquirir.

Financiamento com FGTS

O FGTS pode ser utilizado para dar de entrada no financiamento ou até mesmo realizar parte do pagamento total. No entanto, é importante ressaltar que existem alguns pontos importantes, como:

  • o valor máximo de avaliação do imóvel não pode ultrapassar R$ 1,5 milhão;
  • deve ser um imóvel urbano;
  • o nome do proprietário deve estar aliado com o do FGTS;
  • caso seja um imóvel usado, o proprietário anterior não pode ter usado desse financiamento no período de, no mínimo, 3 anos.

Financiamento com a construtora

Financiar direto com a construtora também é uma opção e costuma ser bastante atraente para imóveis ainda na planta. Além de ser bastante flexível, não existe um limite sobre o valor financiado, o que acaba sendo bastante atraente.

No entanto, existem alguns riscos maiores, como a construtora falir e você perder todo o dinheiro investido ou, mesmo após o término do pagamento, o estabelecimento não tirar o imóvel da hipoteca. Por isso, esteja bastante atento a esse tipo de financiamento.

Independentemente da forma de financiamento que você vai escolher, lembre-se sempre de estar em contato com uma imobiliária que ofereça as melhores opções de imóveis para você e que conte com consultores com expertise que possam lhe ajudar a entender mais do assunto e mostrar as diferentes possibilidades existentes.

Viu só como é importante saber a respeito dos diferentes tipos de financiamento de imóvel? É necessário entender exatamente se essa é a melhor forma de comprar sua casa e quais bancos oferecem as melhores condições, como juros e tempo de parcelamento. Além disso, não deixe de fazer uma simulação e pré-aprovação do crédito para saber qual modelo será mais benéfico para seu caso. A partir daí, você já pode dar o pontapé inicial no sonho de seu novo lar!

Agora que você sabe mais a respeito de financiamento, não deixe de assinar nossa newsletter e receber novos conteúdos a respeito do mercado imobiliário em primeira mão!

Você também pode gostar

Deixe um comentário